"Continuo buscando, re-procurando. Ensino porque busco, porque indaguei, porque indago e me indago. Pesquiso para conhecer o que ainda não conheço e comunicar e anunciar a novidade”. Paulo Freire

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Lançamento: Google for Education

O Google for Education é uma parceria firmada em 2015 entre Secretaria de Estado da Educação e Google destinada aos alunos e professores dos ensinos fundamental (anos finais) e médio. A partir deste semestre o projeto oferecerá uma conta exclusiva de e-mail Google com acesso a nove aplicativos que irão incentivar e agilizar a interação entre alunos e professores. 

Na 8ª GERED a escola contemplada foi a EEB Major Cipriano Rodrigues de Almeida e no dia 26/08 ocorreu o lançamento do projeto em que os professores ativaram as contas e receberam informações. A metodologia utilizada para o desenvolvimento das atividades será a partir de Curso de Capacitação, onde os professores estarão explorando as funcionalidades da plataforma, em especial o Google Classroom (Google Sala de Aula). A próxima etapa será de estudo dos aplicativos e possibilidades de aprendizagem e a ativação das contas dos alunos para a interação com os professores. Participam da implementação 14 professores e 84 alunos, coordenados pelo Núcleo de Tecnologia Educacional em parceria com o Professor Orientador da Sala de Tecnologia Educacional.



segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Capacitação: Ler e Escrever Compromisso da Escola

Está sendo desenvolvido no Núcleo de Tecnologia Educacional com os professores Orientadores da Sala de Tecnologia o Curso de Capacitação: Ler e escrever compromisso da escola, que tem por objetivo desenvolver habilidades de leitura e escrita com a utilização de jornais e revistas, tendo em vista, o acesso digital ao Diário Catarinense e suas possibilidades na prática pedagógica. A próxima etapa será com os professores das Unidades Escolares.


quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Votação

📣 Pessoal, o vídeo da EEB Prof Antônia Correa Mendes de Campos Novos já está no site do Zika Zero disponível para votação. O vídeo foi um dos finalistas estaduais para o prêmio nacional "Pesquisar e Conhecer para Combater o Aedes aegypti" na categoria Ensino Fundamental II.
  clique em participar do Juri Popular 
 clique na Categoria Ensino Fundamental II
  encontre o vídeo "A Luta contra o Aedes aegypti"
  clique no "VOTE NESTE VÍDEO".
💻 Lá você coloca seu email e clica em ENVIAR. Depois disso, vai aparecer uma mensagem dizendo que você precisa clicar no link enviado para seu email para validar a votação. Não esqueça de fazer isso, senão seu voto não será computado.
💡Compartilhe essa informação com o maior número de pessoas possíveis para que o vídeo da unidade escolar de Campos Novos seja premiado em Brasília. Contamos com vocês!

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Planeta da Escola

Planeta.doc Estudantes é um concurso de filmes de até 1 minuto de duração destinado a estudantes do ensino médio, fundamental e universitário do Estado de Santa Catarina, cujo intuito é sensibilizar crianças e jovens sobre a interdependência do ser humano com a natureza. 
O objetivo do concurso é estimular os estudantes a realizarem filmes de até um minuto de duração que demonstrem a importância de seu entorno natural e destaquem atitudes que contribuam para preservá-lo.

Um dos finalista é o vídeo da EEB Nadir Becker

Respeito pela vida

Produção: Alunos do Ensino Médio do EEB Nadir Becker. Brunópolis/SC.
Sinopse: A natureza é o maior bem da humanidade! A preservação do meio ambiente, significa prolongar a vida de todos nós, temos que trabalhar levando informações a todos os povos, conscientizando-os da necessidade de preservarmos o meio ambiente, cada um fazendo a sua parte.
Professor responsável: João Batista Weber de Souza
Para assistir e votar no vídeo, clique aqui.
Mais informações no Portal da SED

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Escola Professora Antonia Correa Mendes, de Campos Novos, é finalista em concurso nacional do MEC

A EEB Professora Antonia Correa Mendes, localizada no interior de Campos Novos, é uma das finalistas do concurso nacional de vídeo “Pesquisar e Conhecer para Combater o Aedes Aegypti”, realizado pelo Ministério da Educação, por meio da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão, com o objetivo de promover o combate ao mosquito transmissor da dengue, da febre chikungunya e do zika vírus. Em Santa Catarina somente duas escolas foram classificadas para a etapa nacional.
Ganhador da etapa estadual na categoria Ensino Fundamental II, com 132 pontos, o vídeo “A Luta contra o Mosquito da Dengue” produzido pelos alunos do 8º ano, sob a supervisão do professor da sala de tecnologia, Ricardo Arno Luzzi, demonstra de forma lúdica e leve, através de quadrinhos e desenhos, a necessidade de cada um fazer a sua parte na prevenção e combate dos possíveis focos de reprodução do mosquito Aedes Aegypti.
Segundo o professor, os alunos envolveram-se diretamente na produção de cenários e desenhos, bem como na locução do vídeo que foi todo captado através de aparelhos de telefone celular dos alunos. “Foi um trabalho muito divertido de realizar, em que os alunos se envolveram diretamente com toda a produção e filmagem. Tudo isso, sem perder o foco na necessidade da prevenção contra o mosquito da dengue e nas implicações negativas que a doença produz ”, explicou Ricardo.
Os alunos aguardam agora, pela premiação da etapa estadual que deve acontecer em breve. Na etapa nacional, os vídeos contarão com a votação popular, além da avaliação de equipe técnica competente. “Estamos ansiosos pelas próximas etapas, e contamos com a votação em massa da nossa região para obter boa colocação na final, que garante a participação em curso de formação em Brasília”, disse o professor.
Para a gerente da educação da Agência de Desenvolvimento Regional de Campos Novos, Patricia Tomazoni Pelentir, a participação e destaque da escola da 8ª regional em cenário nacional demonstra o engajamento da região e do Estado frente a educação. “A educação em Santa Catarina mantem bons índices, demonstrando o quanto somos diferenciados e o quanto trabalhamos para a valorização das nossas unidades escolares. A EEB Profª Antonia Correa Mendes desponta neste concurso através de uma ideia criativa dos alunos e professor orientador de informática demonstrando o engajamento de todos na obtenção de êxito no processo de ensino aprendizagem”, falou.

PARABÉNS A TODA EQUIPE DA ESCOLA


Estudante


segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Qual destes você já leu ou levou para seus alunos?

Os livros são uma ótima forma de ampliar o repertório das crianças, de palavras, mas também de universos, ideias e realidades. A seguir, compartilhamos uma seleção feita pelo site Garimpo Miudo, com livros com protagonistas meninas, para crianças já alfabetizadas, livros para empoderar e mostrar que as meninas podem chegar onde desejarem. Confira   7 livros que mostram às meninas que elas podem ser o que quiserem

Reinações de Narizinho



Monteiro Lobato faz com Emília mais do que inaugurar uma nova estética da literatura infantil, ele funda um novo jeito de ser menina.








Píppi Meialonga
Nada usual para a época em que foi criada a personagem, Píppi é uma garotinha de nove anos que não tem pai e nem mãe e que fala de si mesma sempre em tom altivo e seguro. “Sou uma achadeira. O mundo é cheio de coisas que estão esperando para serem encontrados”, ela diz.








Luna Clara & Apollo 11
Luna Clara tem 12 anos e é uma menina incomum cercada de pessoas e coisas incomuns. Seus parentes têm nomes como Aventura, Equinócio, Erudito, Odisseia da Paixão e Divina Comédia. Ela tem um avô que perdeu as histórias que colecionou a vida toda e um pai que carrega a chuva em cima da cabeça. No meio do caminho, ela descobre que o amor pode estar em alguém cuja maior vontade na vida é querer alguma coisa (sem spoilers!). Onde ela mora, os lugares têm nomes como Desatino do Sul e Desatino do Norte, e nenhuma lei ou regra do mundo de cá faz sentido lá, onde as festas podem durar para sempre.


Matilda
A personagem é filha de pai e mãe que só valorizam o filho homem e não dão atenção para nada relacionado a ela. Proibida de ler e escrever, Matilda passa a frequentar a biblioteca para buscar o que lhe era negado. É lá que ela conhece C.S. Lewis, Tolkien, Burnett, e com eles descobre novas fechaduras por onde observar o mundo.







Alice no país das maravilhas/Alice Através do Espelho


Com Alice, aprendemos que podemos ir além do espelho e da realidade conhecida; podemos vasculhar o inconsciente, escolher os nossos próprios buracos onde vale a pena mergulhar, desafiar as nossas próprias rainhas vermelhas, desviar da normalidade com nossos próprios Chapeleiros Malucos.







Procurando firme

Publicado pela primeira vez em 1984 (Nova Fronteira), Procurando Firme já foi editado outras duas vezes, em 1997 (Ática) e 2009 (Salamandra). Ruth Rocha conta, aqui, a história de uma princesa diferente das outras por um único motivo: ela não quer ser princesa. No lugar de ficar no castelo e esperar pelo príncipe, ela quer sair para conhecer o mundo







Malala, a menina que queria ir para a escola
A protagonista deste livro é real, quase foi morta por querer ir à escola, mas por um misto de desobediência civil, resistência e uma porção considerável de sorte, ela tem hoje 19 anos e continua na luta pela educação de meninas em seu país.


Fonte: Catraca Livre

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Oficinas na Escola

Com o objetivo de ampliar as estratégias de aprendizagem integrando os recursos tecnológicos e as novas mídias na prática pedagógica, foram desenvolvidas as Oficinas: Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação na Escola. Sob coordenação do Núcleo de Tecnologia Educacional, no período de maio a junho os Professores Orientadores da Sala de Tecnologia Educacional de 13 Unidades Escolares exploraram em suas escolas recursos como: Lousa Digital, Google Drive, Prezi e Linux Educacional 4.0. Concluíram a Oficina 105 professores, que receberão certificado de 16h. Foi mais uma oportunidade de estudo e reflexão sobre as novas formas de aprender integrando os recursos tecnológicos.




Confira alguns momentos das atividades clicando no nome da escola.

EEB Major C R de Almeida
EEB Antônia Correa Mendes
CEJA
EEB Dep. Augusto Bresola
EEB José Cesário Brasil
EEB Marino Pisani

terça-feira, 19 de julho de 2016

Fotos com celular

11 dicas para tirar fotos profissionais com seu celular

1. Limpar a lente

Parece uma coisa tão óbvia, e por isso é tão importante e está aqui no primeiro ponto.

Diferente de uma câmera profissional que os fotógrafos carregam em sua mala, protegida, o seu celular fica entre o seu bolso junto com o resto do chiclete do almoço, e o suor do seu rosto e dedos.

Esse é um dos principais motivos porque fotos de celular acabam ficando borradas. Nada mais é do que sujeira e gordura acumuladas na lente.

Se você estiver com uma camiseta de algodão ou tecido suave, é só dar uma passada leve pela lente e tirar as impurezas que estiverem por lá.

2. Usar sempre a câmera de trás

Em uma época em que as selfies acabam por serem mais populares que um prato feito, falar isso pode soar polêmico.

Mas a verdade é que a câmera frontal do seu celular tem uma resolução muito menor do que a câmera de trás.

Isso porque a câmera da frente foi feita mais para vídeo-conferência do que para fotos, enquanto a traseira tem mais megapixels, a unidade de resolução.

Então, a não ser que queira mesmo uma selfie, não use a câmera da frente.

3. Foco

Para garantir o foco da sua foto, você deve levar em consideração duas coisas, a configurações da câmera do seu celular e como estabilizar aquela peça que fica atrás da tela: você!

É importante aprender quais as configurações de foco que seu celular permite no momento das fotos. Muitos permitem alterações como foco manual (você define onde quer focar, ao invés de ser automático), e foco semiautomático avançado.

Mexendo nessas configurações é possível criar todo o tipo de efeito, ao se focar em um objeto e borrar o fundo, e o contrário.

4. Braços de aço

A segunda coisa diz respeito a você. Nesse momento você vai ser arrepender de ter fugido da academia, e aquele treino de braço para assistir netflix: aprenda a tirar fotos sem tremer.

Para isso, tente encontrar uma posição mais estável para segurar o celular. A maioria das pessoas sente mais firmeza que quando o braço está bem próximo do corpo ou todo esticado. Descubra qual a melhor opção pra você.

Apertar o botão que tira a foto com a outra mão evita tremidas também.

5. Regra dos Três

Agora que já falamos do básico de preparação vamos às dicas para tirar as fotos mesmo.

Na hora de definir sobre o que você vai enquadrar em uma foto existem várias regras conhecidas. A mais famosa e fácil de utilizar é a regra dos três.

A regra diz que nossos olhos são atraídos naturalmente por imagens divididas em 3 partes, com o objeto principal um pouco fora do centro.

Uma forma fácil de aplicar isso é de imaginar duas linhas horizontais e duas linhas verticais cortando a tela em tamanhos iguais. O objetivo é posicionar o objeto que você quer focar no encontro de duas dessas linhas.

Algumas câmeras vêm com essa opção de ativar as linhas na tela no momento da foto. Teste tirar algumas fotos com essa técnica e conte nos comentários a sua experiência!

6. Luz ambiente

Sobre a luz deve sempre estar atento à luz natural e uso do flash:

Veja de onde está vindo a luz ambiente. Se você tiver dificuldade, veja onde está formando a sombra dos objetos ao seu redor. Se estiver para esquerda você sabe que a fonte está na direita. Caso não tenha praticamente sombra, é porque a luz está vindo exatamente de cima do objeto.

Via de regra, você deve evitar que a luz esteja atrás do objeto foco da sua foto. Quando a luz está atrás, você só consegue ver a silhueta mas nenhum detalhe do objeto.

Para isso, posicione o objeto de frente para a fonte de luz, e tire uma foto exatamente na frente ou ao lado dele.

Caso você não possa evitar a luz ambiente vindo de trás do objeto, use o flash. Esse é o único caso que é recomendado usar o flash natural da câmera. Nos outros casos recorra à luz natural mesmo.

7. Momento ideal

Imagine que você está no ambiente mais bonito do mundo, uma paisagem incrível de tirar o fôlego, e em um momento em que a luz está sensacional. Em resumo, PERFEITO para a foto. Mas a cena está parada. Não tem nada acontecendo.

Você pode dizer que estou ficando louco de menosprezar um momento desse. Mas a verdade é que não tem nada para tornar uma ótima foto, inesquecível, do que ter alguma coisa para complementar.

Seja pessoas conversando ao fundo, animais se alimentando, ou pombas voando, qualquer coisa que você acrescente na foto que ajude a contar essa “história” é bem vindo.

Vamos combinar que tirar fotos de comida para o Instagram, ou de paisagens é muito fácil, e vai fazer da sua foto mais uma nas redes sociais.

Quando encontrar a cena perfeita, experimente com os elementos até encontrar uma que te brilhe os olhos!

8. Trabalhar a cena

Quando digo trabalhar a cena, o que quero dizer é: trabalhar a cena. Isso mesmo.

Não vivemos mais na época onde você comprava um filme com 12, 24 ou 36 fotos e tinha que escolher muito bem o momento do clique.

Hoje você pode tirar mais fotos por minuto que uma metralhadora automática e excluir as que não ficaram boas. Então, experimente com ângulos:

-Tire a foto de um lugar algo, e depois de um lugar baixo (agachar pode te fazer passar uma vergonha como quem quer ir no banheiro para o número 2, mas compensa no final).

– Saia da rotina e tira uma foto em formato de paisagem (de lado) e de pé

– Tira fotos de frente, e de ângulo lateral com o objeto no canto.

– Da esquerda para direita, da direita pra esquerda

– Tire fotos bem próximas e outras mais distantes

– Mude o foco para diferentes pontos da cena.

Enfim, o importante é testar variações e ver o que funciona. Ao invés de tirar uma foto e seguir, gaste uns minutos testando.

9. Proibido Zoom

Essa dica pode parecer estranha, mas não use o Zoom digital do seu celular. NUNCA!

Diferente dos zooms ópticos de câmeras profissionais, que se movimentam e saltam do aparelho, o zoom digital nada mais faz do que aumentar o tamanho dos elementos e cortar as bordas.

Em outras palavras, você teria o mesmo efeito se tirasse uma foto sem zoom, passasse para o computador, cortasse as bordas e aumentasse o tamanho.

Mas ao utilizar o zoom digital, além de fazer algo que você poderia fazer depois, ele ainda limita suas opções de edição por tirar pedaços da foto.

Tire fotos sem zoom, e se quiser faça os cortes depois.

10. Praticar, praticar, praticar

“É sério isso? Essa é a dica?”. Para muitas pessoas isso é uma dica totalmente desnecessária, já que enquanto viajam acabam acumulando mais fotos do que arquivos que recebem dos grupos de WhatsApp.

Mas, da mesma forma que você não espera que estudar 10 min de inglês por semana vai te deixar fluente em 6 meses, não espere melhorar suas habilidades de fotografia tirando fotos somente nas luas cheias. Se você tem gosto por fotos, brinque um pouquinho por dia testando alguns dos pontos acima.

E a não ser que você esteja buscando uma luz perfeita, e momentos únicos, a prática da fotografia vai ser tornar objetos e coisas do dia a dia em algo interessante. Deixar aparente uma nova forma de ver algo comum.

Então, mão na massa na câmera, e boas fotos.

11. Instagram

Por último, muito se fala sobre a foto em si. Mas depois de tirada, e se você quiser dar aquela editada para deixar a foto tinindo, perfeita?

A não ser que trabalhe com isso, editar no photoshop é mais difícil do que convencer um estrangeiro que não é todo o brasileiro que samba ou é a próxima promessa no futebol.

Para esse tipo de necessidade você pode usar o velho conhecido Instagram. Além do seu lado de rede social para compartilhamento de fotos, ele permite uma edição das fotos de uma forma muito fácil pela aplicação de filtros.

São muitas opções, e é impossível não conseguir tornar a sua foto um pouco mais profissional em simples toques na tela do seu smartphone.

Use e abuse do aplicativo e já compartilhe para todos os seus amigos poderem ver sua fotos e, quem sabe, ficar com uma vontade de perguntar “onde é?” e “quem tirou?”.

Fonte: Blog Viaje Mais

Outras dicas aqui.

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Escola Digital - SalaWeb

SalaWeb é uma plataforma de busca de recursos digitais voltada para professores, alunos e familiares, que oferece materiais  para auxiliar o planejamento de aulas mais dinâmicas e enriquecidas com os mais diversos recursos digitais. A plataforma está organizada respeitando as disciplinas e os níveis de ensino para facilitar a busca. Ela foi desenvolvida para oferecer um amplo espaço repositório para Objetos Digitais de Aprendizagem (ODAs). Nela poderão ser encontrados vídeos, games, animações, videoaulas, infográficos e mapas, entre outros. Os ODAs poderão subsidiar as práticas pedagógicas inovadoras.  Também pode ser encontrada indicações de recursos digitais capazes de apoiar a criação de novos objetos de aprendizagem, o trabalho com temas transversais e a realização de projetos na comunidade, entre outras possibilidades educativas. Essa é uma parceria da Secretaria de Estado da Educação com a plataforma Escola Digital, uma iniciativa do Instituto Inspirare, Instituto Natura e Fundação Telefônica Vivo.


Para acesso e outras informações: Clique Aqui

quinta-feira, 2 de junho de 2016

Livros Virtuais

livro virtual ainda é muito criticado, muitas pessoas acreditam que a sensação de pegar em um livro, de tê-lo nas mãos e passar as páginas não pode ser comparada com a sensação de ler um livro virtual. Mas a verdade é que nada disso importa, é legal sim ter o livro nas mãos e é interessante ter livros físicos em casa, mas os livros virtuais também são legais.
Vamos mostrar aqui 7 motivos para você indicar livros virtuais aos alunos, chega de discriminar o tipo de livro só porque ele está em uma tela de computador e não no papel. Livro é livro, não importa o formato que ele se encontra.
1º Motivo – É fácil de encontrar. A facilidade de encontrar um livro virtual é muito maior que sair para encontrar um livro em uma biblioteca física. Já demos aqui várias dicas de bibliotecas online que o aluno pode acessar e encontrar o livro que precisa em poucos cliques. Essa é uma das grandes vantagens de quem tem acesso a livros virtuais, o próprio professor pode encontrar o livro para os alunos e indicar onde eles vão entrar para ler, é muito fácil o acesso a livros digitais que os livros comuns no papel.
2º Motivo – É mais barato. A verdade é que muitas vezes você não vai precisar nem pagar pelo livro virtual, mas se precisar comprar, o valor de um livro virtual é bem mais baixo do que o livro físico. Isso é um incentivo maior para os alunos e pais que não querem gastar dinheiro comprando livros caros para os filhos. Pode ter certeza que indicando livros virtuais você vai evitar a dor de cabeça com pais de alunos que se recusam a comprar um livro por ser um pouco mais caro.
Você como professor deve saber que livros são realmente caros, não importa se é de literatura ou didático, os livros físicos são bem caros e com razão, mas se você pode indicar livros virtuais, esse é um ótimo motivo para fazê-lo.
3º Motivo – Não precisa de luz ambiente. Pode parecer bobagem, mas essa é uma boa forma de economia, o aluno não vai precisar ficar com a luz acessa durante a noite para ler seu livro, usando o celular ou computador ele consegue ler o livro. Esse é um motivo simples, mas que ajuda muito a convencer os alunos e pais na hora de indicar um livro virtual. Além disso, o livro virtual se adapta as vistas, você pode aumentar a luz ou diminuir, isso evita ficar com a vista cansada e o rendimento com o livro será muito maior
4º Motivo – Tem mais ergonomia. Os livros físicos, principalmente os muito grandes e com muitas páginas não são nada ergonômicos. Muitas vezes você fica com dor na mão, no pescoço e com uma posição desconfortável, se você tem costume de ler livros físicos ou já leu muitos, sabe do que estamos falando. Acontece que com os livros virtuais você não terá esse problema, a mão fica livre, você não carrega peso quando leva para algum lugar, ou seja, a ergonomia facilita muito.
5º Motivo – Acesso a mais livros. Se está pensando em indicar um livro novo, a vantagem do livro virtual é essa, você não precisa esperar ele chegar até as livrarias, pode apenas acessar e comprar e isso é um ótimo motivo para indicar um livro virtual para seus alunos. O acesso a livros novos é muito maior e mais fácil quando falamos em livros virtuais, além disso você não precisa enfrentar filas e não precisa sair correndo para comprar.
6º Motivo – Você marca e escreve e não estraga. Com o livro virtual você pode fazer marcações de texto, pode fazer anotações e não vai estragar o livro. Ninguém quer comprar um livro e depois marcar ele todo, mas com os livros virtuais não tem esse problema, é possível fazer anotações nas páginas, usar um marca texto e ter o livro intacto. Esse tipo de atividade e atitude é muito importante e vale levar em consideração, principalmente se os alunos estão lendo para uma prova ou um trabalho.
7º Motivo – Pode ser interativo. Muitos livros são bem interativos e isso você não encontra nos livros físicos. Com os virtuais muitas vezes você pode usar o dicionário que ele tem para descobrir uma palavra que leu e não entendeu, apenas clicando. Já pensou na preguiça do aluno de parar a leitura, levantar e pegar um dicionário só para descobrir a palavra, isso possivelmente não vai acontecer e ele não vai descobrir uma nova palavra. Com o livro virtual é diferente, e não é só isso, ele pode descobrir palavras novas e até pesquisar sobre ela no Google.

São muitos os motivos para indicar livros virtuais aos alunos, esses são apenas alguns. Não deixe de indicar livros aos seus alunos, eles são importantes para o aprimoramento do indivíduo e conhecimento dele.

Capacitação DC na Sala de Aula



No dia 01/06 o multiplicador do NTE Valderi Dissegna e os Professores Orientadores da Sala de Tecnologia Educacional Cris Kemer Pandolpho Pasquali, Rodrigo Rogério Volff e Angela Ribeiro participaram  na cidade de Videira do Encontro de Capacitação do Diário Catarinense. Na oportunidade receberam informações sobre a importância da utilização do Jornal na Sala de Aula e dicas de envio de matérias com trabalhos realizados pelos alunos e que poderão ser publicadas no encarte DC na Sala de Aula motivando alunos e professores à utilizarem o Jornal na Escola como complemento das atividades de aprendizagem.

Para Informações - Acesse

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Formação Continuada: Educação em Rede

No dia 24/05 teve início no Núcleo de Tecnologia Educacional o Curso de Formação Continuada: Educação em Rede. O evento é uma oportunidade de formação acerca das Tecnologias Educacionais e tem por objetivo conhecer o Google Drive como uma das possibilidades de comunicação e informação a partir da rede e sua aplicabilidade nas atividades de aprendizagem. O curso tem carga horária de 20h.




quinta-feira, 12 de maio de 2016

Oficina Tecnologia e Educação

No dia 11/05 foi realizada a última etapa presencial do Curso de Formação Continuada: Educação e Tecnologia Novas Linguagens, realizado no Núcleo de Tecnologia Educacional com os Professores Orientadores da Sala de Tecnologia Educacional das escolas estaduais. Para a complementação do curso, será desenvolvida uma atividade significativa a ser aplicada na escola com a utilização da tecnologia educacional. Foi mais uma oportunidade de aprendizado e aperfeiçoamento a ser materializado no cotidiano escolar. Agradecemos os professores pela participação e colaboração.